Centro Olímpico é projeto em cidade histórica

Com capacidade para dez mil pessoas Arena Mariana é referência no cenário esportivo

Por Camila Gonçalves, Eduardo Rodrigues, Giselle Carvalho, Letícia Cristiele e Ingridy Silva

Com piso especial, Arena Mariana inova na infraestrutura esportiva da cidade. Foto: Letícia Cristiele

Com piso especial, Arena Mariana inova na infraestrutura esportiva da cidade./Imagem: Letícia Cristiele

A Arena Mariana, inaugurada há três meses, trouxe modificações no cenário da cidade e teve notável impacto no cotidiano dos moradores e frequentadores.

Com um investimento de aproximadamente R$ 20 milhões, o Ginásio Poliesportivo Osni Geraldo Gonçalves é considerado hoje um dos centros esportivos mais completos de Minas Gerais, possibilitando aos atletas e espectadores um espaço moderno e diferenciado que conta com quatro vestiários, dois camarotes, 84 sanitários, sala para imprensa, equipamentos de primeira qualidade para os atletas, quadra com piso especial que absorve melhor o impacto durante as partidas, estacionamento para 400 carros e dez mil lugares. Além disso, abriga a Secretaria de Desportos de Mariana.

Em janeiro de 2008, por ordens do Instituto do Patrimônio Artístico Nacional (IPHAN), o ginásio localizado no centro da cidade precisou ser demolido. A estrutura moderna destoava do projeto arquitetônico da cidade histórica, como afirma o Secretário de Desportos Helerson Freitas da Silva: “Tínhamos ali grandes problemas junto ao IPHAN, por se tratar de uma obra no centro histórico, diziam que era contexto de preservação”. Na época, o então prefeito Celso Cota prometeu a construção de um novo complexo. Depois de atrasos por problemas políticos, a Arena Mariana foi concluída e inaugurada em 20 de agosto de 2013. Além da construção de mais um ginásio no bairro Cabanas, a proposta da “Mariana Olímpica” contará ainda com quadras poliesportivas, ginásio para ginástica artística, piscinas olímpicas e pista de skate.

A maioria dos moradores se mostra a favor da construção, como afirma o guia turístico Márcio Bento, 57: “A Arena é muito boa pra cidade, lá são realizados diversos eventos, jogos, tem várias opções de diversão. Foi boa a demolição do antigo poliesportivo, ele destoava do cenário por ser muito alto e descaracterizava o centro”. Outros moradores afirmam que a construção valorizou o bairro, desafogou o trânsito do centro e que ainda fortaleceu o comércio. A Arena Mariana recebe importantes eventos que prometem consolidar a cidade no cenário esportivo nacional.

Matheus Henrique de Abreu Loreto, 20 anos, Marianense morador do Bairro Rosário, estudante de Engenharia de Controle e Automação pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), participa de todos os eventos realizados na Arena de Mariana desde da sua inauguração. #tecer – Chegou a frequentar o ginásio antigo?

Matheus Henrique – No antigo ginásio, que era onde é o atual centro de convenções, eu ia bastante, foi lá que comecei a gostar de esportes e me dedicar um pouco mais a eles, nos quatro ou cinco anos antes de destruírem ele, eu treinava três vezes por semana, das 17h às 23h, além de treinar nos finais de semana, eu vivia lá.

O espaço atende bem aos usuários?

A infraestrutura do ginásio em si é muito boa, o estacionamento é grande, o espaço é acessível, tem muitos banheiros, e a quadra é de qualidade.

Como morador, acha que a construção da Arena foi uma boa para a população Marianense?

Eu acho que a construção foi boa, mas seu uso ainda não está da melhor forma. No antigo ginásio todas as modalidades podiam usar o espaço para treinamento e no novo isso ainda não está acontecendo.Ele é utilizado na maioria das vezes só pra jogos, até onde eu sei.

Editora Geral: Camila Gonçalves Imagem: Letícia Cristiele Repórteres: Eduardo Rodrigues, Giselle Carvalho, Ingridy Silva, Letícia Cristiele