Arquivo da tag: UFOP

Diretor de “Batismo de Sangue” participa de conversa no Festival Inconfidentes

Por Livia Ciccarini

A exibição do longa “Batismo de Sangue”, durante o Cine Festival Inconfidentes, contou com a presença do diretor e roteirista do longa, Helvécio Ratton, fechando a programação da sexta-feira, 5, segundo dia de evento. Após a sessão, a platéia teve a oportunidade de conversar com o diretor, que subiu ao palco para contar sua experiência durante as gravações do filme que fala sobre o período da Ditadura Militar no Brasil sob o ponto de vista dos torturados, um deles, Frei Betto, autor do livro utilizado como obra-base para a criação do filme.

Ratton, homenageado do Festival, respondeu perguntas da platéia e na presença de professores e alunos da Universidade Federal de Ouro Preto, abordou assuntos relacionados a produção de seus longas e a perda de arquivos relacionados a ditadura.

Para Anderson Mederios, 28, professor de jornalismo na UFOP e diretor de produção do Inconfidentes, conversar com Ratton foi uma possibilidade de abrir os olhos e desmistificar suas opiniões sobre o filme “Batismo de Sangue”: “Achei uma oportunidade interessante conversar com quem está no mercado produzindo. Eu, que ainda não havia assistido ao filme e trabalho com comunicação e cinema, aprendi muito”, afirma.

A conversa que durou cerca de uma hora e meia e também foi avaliada como proveitosa pela estudante de Jornalismo da UFOP Isadora Lira, 19: “Além de ter contato com o universo do cinema, foi uma grande oportunidade de conhecer mais sobre uma parte triste da história do nosso país”, explicou.

* A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.

Inconfidentes faz exibição do documentário “Me respeita!”

Por Rayssa Amaral

O Festival Inconfidentes teve em sua programação a Mostra Ouro da Casa, onde foi exibido o documentário Me Respeita!, produzido pelos alunos do curso de jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto. O documentário surgiu da ideia de explorar a questão da homofobia, em decorrência de um episódio envolvendo comentários homofóbicos e sexistas na página do Instituto de Ciências Sociais e Aplicadas no Facebook em 2011. A mobilização dos alunos contra o preconceito trouxe o incentivo necessário para abordar o assunto.

Ricardo Maia e Matheus Maritan, realizadores do documentário, participaram da sessão. Segundo Ricardo, a equipe enfrentou alguns desafios da realização do projeto: “Tivemos muitas dificuldades com os equipamentos, prazo curto para a execução e para fazer a construção da linguagem. Não queríamos mostrar os homossexuais como vítimas, mas sim a realidade em que vivem”.

A exibição do documentário foi uma oportunidade de continuar divulgando o trabalho, que já teve mais de 3 mil visualizações no canal de vídeos YouTube.

Para Matheus, a ideia que pretendiam passar foi contemplada: “se uma pessoa mudar seu pensamento, sua percepção sobre esta questão, ficaremos satisfeitos”, disse, ressaltando a repercussão não só na comunidade acadêmica mas em âmbito nacional e internacional. “Em nome de toda a equipe estamos felizes de poder participar da 3° edição do Inconfidentes”.

Assista Me respeita!

* A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.

Homofobia é tema de documentário no Festival Inconfidentes

Por Israel Marinho

Dentro da programação do quarto e último dia do Festival Cine Inconfidentes, domingo, 7, foi exibido no Cine Vila Rica, em Ouro Preto, o documentário “Me Respeita!”, produzido por alunos do Curso de Jornalismo da UFOP para a Disciplina “Documentário”, ministrada pelo professor Adriano Medeiros no segundo semestre de 2011.

O documentário mostra relatos, depoimentos e imagens da campanha de conscientização organizada por alunos do ICSA (Instituto de Ciencias Sociais e Aplicadas) no segundo semestre de 2011, em decorrência de comentários homofóbicos postadas em uma rede social. Na época, diversos debates e assembleias foram organizadas pelos alunos.

Segundo um dos produtores do documentário, Mateus Meireles, aluno do sétimo período do curso, o tema já tinha sido escolhido para o documentário quando houve o incidente, que acabou contribuindo para o debate que a produção do filme queria promover. Segundo ele, a procura por fontes foi muito dificil, mas o trabalho valeu a pena: “Não são todos que estão dispostos a falar deste assunto, ainda é tabu para muitos”, conclui.

O pequeno público presente ao cinema aprovou o documentário e a iniciativa dos alunos. Para Júlio Carlos da Silva, 44, é importante que o tema seja mais discutido pela sociedade: “Tenho filhos e sei que um dia eles virão perguntar sobre o assunto. E sei que estarei mais preparado”, finaliza.

* A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.

Professores de Comunicação apresentam seus projetos de pesquisa em seminário

Por Tiago Vieira

Ocorreu na tarde desta quinta-feira, 27 de outubro, o Seminário de Pesquisa, Ensino e Extensão, ministrado por diversos professores do curso de Comunicação Social – Jornalismo, da Universidade Federal de Ouro Preto, por ocasião da 3ª Semana de Comunicação (Secom). O encontro, que aconteceu no Instituto de Ciências Humanas e Sociais (ICHS), serviu principalmente para os professores exporem seus projetos de pesquisa.

 “Considero muito importante mostrar para o estudante e para os professores os projetos que estão sendo produzidos”, disse a presidente do colegiado do curso, Marta Maia. Ela acredita que esse seminário possa fazer com que haja uma procura maior dos alunos pelos projetos de extensão, além de mais integração entre os projetos dos professores.

 Cada um pôde falar sobre os projetos em que já trabalharam ou estavam trabalhando. Os temas das pesquisas abordaram desde a história do radiojornalismo no Brasil até o trabalho com mídia em comunidades carentes da região. Além dos professores, os alunos que os auxiliavam em seus projetos também estiveram presentes para falar sobre as pesquisas.

Se o encontro motivar mais os alunos com relação ao tema e aumentar o interesse dos professores pelos projetos dos colegas, então terá cumprido seu objetivo com louvor.

Webradio é um dos diversos projetos de extensão e pesquisa na UFOP

Professores de jornalismo apresentaram, nesta quarta-feira (27), suas respectivas linhas de pesquisa em um seminário realizado no ICHS pela Secom. Entre os diversos temas de iniciação científica abordados, as docentes Nair Prata e Sônia Pessoa explicaram um pouco sobre o seu projeto ligado ao rádio.

As pesquisas direcionadas ao rádio estão com a temática voltada para a questão da Webradio.As coordenadoras do projeto acreditam que a análise desse meio ligado à outro meio de comunicação mais recente, que é a internet, se torna fundamental para estudos das novas mídias no jornalismo.

Iniciação científica em Webradio

Alunos bolsistas e voluntários trabalham com as orientadoras na UFOP no projeto Webradio: Gênero, Interação e Bussines. Um dos objetivos é pesquisar sobre as dez webradios mais acessadas do país. Essa iniciação conta com o maior número de estudantes envolvidos, dentre todos os projetos expostos.

No seminário, cada professor teve a oportunidade de discursar um pouco sobre os seus projetos, contando com a participação de alunos. Várias áreas ligadas à comunicação foram abordadas, como o Jornalismo ambiental, a comunicação organizacional e o cinema, atendendo as expectativas dos diversos estudantes presentes.

Encerrando o seminário, Marta Maia, presidente do colegiado, discursou sobre a importância das atividades de iniciação científica e projetos para a comunidade acadêmica, já que as pesquisas e extensões precisam ser cada vez mais fortalecidas em favor de uma melhor formação universitária.

Texto: Mayra Santos Costa
Foto:Nathália Souza Silva