Arquivo da tag: Secom2010

Palestras movimentam o ICSA

A Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) vive a 3ª Semana de Estudos em Comunicação Social (Secom), organizada pelos estudantes de jornalismo do Cacom (Centro Acadêmico da Comunicação Social). Em três dias de evento participam vários profissionais, que realizarão palestras e eventos para os estudantes da universidade.

A palestra sobre Políticas Públicas foi ministrada pela professora da UFOP, Juçara Brittes, no Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA), onde cerca de 30 estudantes de diferentes cursos, discutiram e reviram alguns de seus conceitos sobre a política da liberdade de se expressar na atualidade brasileira, chegando à conclusão de que o direito à comunicação em massa, através de rádio ou televisão, somente é possível aos mais favorecidos na sociedade, como por exemplo, os deputados.

Para Osmar Lopes Neto, 19 anos, que cursa o segundo período de Jornalismo pela UFOP, a palestra foi muito produtiva e interessante, principalmente pelos métodos usados pela palestrante: “Através de vídeo, bem simples, a professora conseguiu explicar muito bem a manipulação que a mídia exerce sobre a população”.

Texto: Pedro José de Carvalho Gomes

Foto: Paulo Victor Fanaia

Cinema e Vida aborda o cotidiano de pessoas comuns na mídia

Texto: Sara Oliveira

Áudio: Eugene Franklim

Fotos: Lincon Zarbietti

O último dia da SECOM contou com a mini-palestra Cinema e Vida – procedimentos e abordagens com a doutoranda da UFMG em cinema contemporâneo Clarisse Alvarenga. A apresentação teve início às 14h e discutiu a maneira com que a mídia tem representado a vida das pessoas comuns. Clarisse tratou de algumas questões como o tipo de vida que a mídia tem buscado propor para as pessoas comuns e se o cinema consegue se contrapor a essa imagem criada.

Para isso, a palestrante citou o filósofo Michel Foucault e suas pesquisas que mostram como a vida das pessoas comuns é disciplinada pelas instituições. Ao aprofundar em uma perspectiva histórica sobre a sociedade, sua disciplina ou controle de vida  de acordo com as pesquisas de Foucault, foi possível ter uma ideia de como a câmera inibe ou sugere uma série de posturas dos sujeitos.

Foram usados também exemplos em vídeo como o quadro ‘Mudança Geral’, do Fantástico, que se propôs a acompanhar o cotidiano de uma família de classe média e sugerir mudanças. Os participantes se indagaram, entre outras questões, sobre a necessidade da sociedade contemporânea de se expor. Clarisse mostrou que a mídia acaba tendo um papel de amparo para essas pessoas.

A palestra teve um caráter bastante dinâmico e contou com participação efetiva dos inscritos.

Clarisse Alvarenga explica um pouco da mini-palestra no áudio a seguir.

Ricardo Lima estimula sensibilização da audição

Texto: Gustavo Aureliano Silva

Fotos: Lincon Zarbietti

Percepção sensorial foi uma das atividades desta última tarde da Secom. O professor Ricardo Lima conduziu a oficina em que foram apresentados alguns conceitos do ouvir e como essa prática se tornou mecânica atualmente. Para isso, realizou exercícios para aprimorar a percepção dos participantes.

No início da oficina, o professor falou sobre a importância do escutar e como essa ficou esquecida ao longo da história. Apresentou alguns exemplos de como as pessoas perderam o hábito de ouvir. Foram mostrados conceitos relacionados à audição, seguido de uma atividade em que os participantes da oficina ficavam cinco minutos em silêncio e depois descreviam os sons que ouviam.

Para concluir, Ricardo promoveu dois exercícios em que os participantes ouviam uma sequência sonora e a partir dela tinham que criar uma história.