Arquivo da tag: Mariana

Diretor de “Batismo de Sangue” participa de conversa no Festival Inconfidentes

Por Livia Ciccarini

A exibição do longa “Batismo de Sangue”, durante o Cine Festival Inconfidentes, contou com a presença do diretor e roteirista do longa, Helvécio Ratton, fechando a programação da sexta-feira, 5, segundo dia de evento. Após a sessão, a platéia teve a oportunidade de conversar com o diretor, que subiu ao palco para contar sua experiência durante as gravações do filme que fala sobre o período da Ditadura Militar no Brasil sob o ponto de vista dos torturados, um deles, Frei Betto, autor do livro utilizado como obra-base para a criação do filme.

Ratton, homenageado do Festival, respondeu perguntas da platéia e na presença de professores e alunos da Universidade Federal de Ouro Preto, abordou assuntos relacionados a produção de seus longas e a perda de arquivos relacionados a ditadura.

Para Anderson Mederios, 28, professor de jornalismo na UFOP e diretor de produção do Inconfidentes, conversar com Ratton foi uma possibilidade de abrir os olhos e desmistificar suas opiniões sobre o filme “Batismo de Sangue”: “Achei uma oportunidade interessante conversar com quem está no mercado produzindo. Eu, que ainda não havia assistido ao filme e trabalho com comunicação e cinema, aprendi muito”, afirma.

A conversa que durou cerca de uma hora e meia e também foi avaliada como proveitosa pela estudante de Jornalismo da UFOP Isadora Lira, 19: “Além de ter contato com o universo do cinema, foi uma grande oportunidade de conhecer mais sobre uma parte triste da história do nosso país”, explicou.

* A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.

Coral marianense Tom Maior anima o Festival

Por Éllen Rosa

Coral Tom Maior. Foto: Éllen Rosa.

A exposição Pulsando Quimeras, textualizando Helvécio Ratton, lançada no segundo dia do Cine Festival Inconfidentes, sexta, 05, segue até o dia 21 na Galeria do Sesi, podendo ser visitada  das 9h às 19h. Ratton foi o cineasta homenageado desse ano no Festival.

Antes do lançamento da exposição o Coral Tom Maior, do Conservatório de Música Mestre Vicente Ângelo das Mercês, se apresentou no espaço. O coral é formado por adolescentes e jovens de Mariana, regido por Adeuzi Batista Filho. A apresentação foi muita animada e contagiou o público com as músicas.

O grupo sempre se apresenta em ocasiões festivas e culturais de Mariana e região. Também já participou de apresentações com corais internacionais. Karla Mendes de Morais, 19 e Vilmara de Assis, 17 são integrantes há 5 anos do grupo e ficaram felizes por abrir a exposição: “é muito bom participar de qualquer evento. Assim, públicos diferentes conhecem o coral”, afirmou Karla.

Bruna Viana que estava no teatro já assistiu outras apresentações do grupo: “é sempre muito bonita, tem músicas emocionantes, parece que estão cantando pra gente’’.

Richardson Pontone e Cláudio Costa Val em uma conversa sobre videoativismo

Por Ana Paula Abreu

Foto: Ana Paula Abreu

O professor, documentarista e pesquisador em mídias digitais, Richardson Pontone, ministrou uma palestra com o tema “O videoativismo e o documentário contemporâneo” no primeiro dia da 3ª edição do Cine Festival Inconfidentes. Pontone contou com o auxílio do roteirista, diretor de cinema e professor, Cláudio Costa Val, que momentos antes havia lançado um livro no mesmo Festival.

Pontone falou sobre o videoativismo anterior e posterioriormente ao advento da internet. Antes a divulgação era feita da seguinte forma: ele e alguns amigos alugavam fitas em VHS de filmes em lançamento e inseriam os curtas produzidos por eles nos trailers. “Não era algo legal, mas era o que dava pra fazer naquela época”, pontuou Pontone.

Em 1999, a internet já cumpria um papel de divulgadora. Costa Val e Pontone apontaram a repercussão das revoltas em Seattle como um marco na história do videoativismo pós-internet. Após dez anos da queda do Muro de Berlim, insatisfeitas com o descaso do governo, pessoas saíram às ruas para protestar e foram agredidas por policiais. Ativistas gravaram a agressão e repassaram as imagens por listas de e-mails, gerando comoção por todo o mundo.

A estudante de jornalismo Éllen Nogueira avaliou o tema da palestra: “Com as tecnologias de hoje, temos a possibilidade de mostrar o outro lado da história. Como disse o Richardson, podemos ‘consumir cada vez mais verdade’”.

* A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.

Cine Festival Inconfidentes encerra com “Amor & Cia”

Por Lucimara Aparecida Leandro

Após quatro dias de programação o 3º Cine Festival Inconfidentes se despediu do público na noite deste domingo, 07. A programação, em Mariana, teve mais uma obra do homenageado desta edição, Helvécio Ratton, o longa Amor & Cia, de 1999. Com roteiro adaptado na obra de Eça de Queiroz, Alves & Cia, a história acontece em São João Del-Rei ao final do século XIX e narra a amizade de dois amigos e sócios Alves (Marco Nanini) e Machado (Alexandre Borges). A amizade entre eles é abalada quando Alves chega em casa mais cedo para fazer uma surpresa a sua esposa Ludovina (Patrícia Pillar), pelos quatro anos de casamento, e a flagra em atitude suspeita com Machado. Alves decide romper relações com o amigo e expulsa a esposa de casa. Alves propõe a Machado um duelo no qual apenas uma arma estaria carregada e seria escolhida por sorteio. Assim, apenas um deles sairia vivo. Mas ele acaba voltando atrás e a história toma outros rumos.

Para Luanara Carvalho, estudante de jornalismo da UFOP, o que mais chamou a atenção foi a riqueza de detalhes do filme: “por ser um filme de época o figurino e cenário foram muito bem elaborados”, comenta. Já para o estudante de administração Julierme Italo, o que mais o surpreeendeu foi o enredo e a questão da prudência: “se não fosse por ela os fatos seriam bastante diferentes, então é sempre bom usar a prudência antes de decidir algo”. Para o estudante, a escolha de Ratton como homenageado foi mais que cabível, por seu trabalho e a qualidade de seus filmes. Julierme trabalhou também no festival e disse ter sido uma grande experiência: “Atuei na divulgação, nas idas nas escolas, conversas com as pessoas, foi bem diferente para mim”, ressalta.

Além de ter movimentado culturalmente a cidade de Mariana, o Cine Festival Inconfidentes contribuiu também para o crescimento das pessoas envolvidas no projeto. E nada mais sugestivo do que encerrar a 3ª edição do evento com “Amor & Cia”.

Veja o trailer de Amor & Cia, de Helvécio Ratton.

* A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.

Domingo de seções eleitorais e de sessões de cinema

Por Filipe Monteiro

Domingo de eleição, mas também de exibição de curtas no último dia do 3º Festival Cine Inconfidentes, evento que aconteceu no Teatro Sesi Mariana. Curtas de diversos lugares do Brasil foram exibidos. Do Rio de Janeiro, Retângulos Brancos, de Gil Jorge e Pedro Curi, bem como a ficção Hooji, de Marcelo Quintela e Boynard, marcada por aspectos da cultura japonesa. Cíntia Langie e Rafael Andreazza retrataram com o curta Marcovaldo a rotina que um catador de lixo enfrenta, já a o documentário Mato Alto: pedra por pedra de Arthur Leite relata a construção de uma série de edificações com o esforço de uma família.

A exibição chegou ao fim com o divertido O amor é uma comédia, de Ricardo Chacur e com o thriller Mistérios de Sangue, de Fabrício Passos Braga. Apenas a animação de Daniel Rabanéa, Essência, não foi exibida, mas isso não influenciou em nada a qualidade do evento.  As sessões contaram com a presença de poucos espectadores.

Para a estudante de jornalismo Adriana Aparecida de Souza, o Cine Inconfidentes é uma iniciativa muito boa e pertinente para o incentivo da cultura, não só em escala local, mas também no nível geral: “Eu só fico muito triste quando eu vejo um festival com uma programação totalmente gratuita e com um público tão pequeno. Um festival como esse precisa de incentivo do governo e do Ministério da Cultura para que o público possa ter mais proximidade com o cinema”, disse.

Assim como é tratado no filme Retângulos Brancos, o cinema desperta uma emoção diferente em cada espectador. Segundo a estudante Roberta Nunes, “sentar em uma cadeira para assistir a um filme é entrar em um novo universo que, não importa se é real ou não, leva a pessoa a experimentar sensações que nunca havia experimentado”.

* A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.

Cineasta Helvécio Ratton é homenageado no 3° Cine Festival Inconfidentes

Por Rafael Melo

Imagens relembram o trabalho do cineasta. / Foto: Éllen Nogueira.

A Galeria do Teatro SESI Mariana recebeu, na tarde de sexta, 05, o cineasta homenageado pelo Cine Festival Inconfidentes. Com a exposição Pulsando quimeras, textualizando Helvécio Ratton, que segue até o dia 21, o público tem a oportunidade de conhecer a filmografia do cineasta mineiro. A mostra é uma iniciativa do professor Adriano Medeiros, da UFOP, coordenador geral do festival de cinema. Dentro de um ambiente intimista e aconchegante, o visitante se depara com roupas e alguns objetos utilizados nos cenários de seus filmes, além de diversas fotografias que retratam a perspectiva criativa do cineasta.

Helvécio Ratton foi recepcionado pelo coral marianese Tom Maior e demonstrou satisfação ao ver a exposição que o estimulou a pensar em projetos futuros: “Gostei muito, de certa forma isso é um panorama do universo do meu cinema e me faz pensar nos filmes que já fiz, mas me faz pensar, principalmente, nos que eu quero fazer ainda”, afirma.

A presença do cineasta reafirmou o compromisso com o cinema brasileiro na terceira edição do Cine Festival Inconfidentes. E as pessoas que participaram da exposição ficaram encantadas com o trabalho de Ratton. A estudante Priscila Paiva visitou o espaço e elogiou a homenagem prestada ao cineasta: “Conheci mais o trabalho do Helvécio, não sabia que ele também dirigiu o filme Menino Maluquinho.

SERVIÇO: O público pode prestigiar a exposição Pulsando quimeras, textualizando Helvécio Ratton até o dia 21 de outubro, de 9h às 19h, na Galeria do Teatro SESI Mariana – Rua Frei Durão, nº 22, Centro.

* A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.

Festival Inconfidentes traz programação especial para crianças

Por Jéssica Moutinho

O Teatro SESI Mariana recebeu pequenos espectadores de diferentes idades e também algumas famílias que levaram seus filhos para assistir aos curtas para crianças, exibidos no local na tarde de sábado, 06, terceiro dia de Cine Festival Inconfidentes.

Dentre as atrações, além dos filmes, o Grupo de Flauta Doce do SESI, que abriu a programação do dia. Formado por alunos do SESI e também por alguns jovens do Conservatório São Vicente, de Mariana, o grupo musical toca em especial músicas medievais e renascentistas, já que estas são próprias para serem tocadas na flauta doce.

Após a apresentação foram exibidos três curtas: Do lado de fora, de Paulo Vinícius e Matheus Peçanha; Eram os deuses extraterrestres?, de Cacinho, e Menino Maluquinho: o filme, de Helvécio Ratton, homenageado do Festival deste ano. Este último, para um grupo de crianças que estava na platéia, era a fita mais esperada do dia. Muitos não conheciam o filme, apenas o livro, mas estavam ansiosos em ver a história em quadrinhos ganhar vida na tela grande.

Adultos que também foram ao SESI para ver os curtas disseram ter gostado muito do filme, de relembrar e poder voltar ao “passado”, só sentiram falta de mais público, dado o valor cultural do evento e por ele ser aberto ao público: “Uma maior divulgação poderia trazer mais gente ao local” afirma Luiza, aluna da UFOP do curso de Jornalismo que prestigiou a programação da tarde.

* A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.

Pulsando Quimeras: uma expressão da alma mineira

Por Daniela Gurgel Damasceno

Exposição "Pulsando quimeras" mostra o trabalho de Helvécio Ratton. / Foto: Paula Peçanha

A abertura da exposição “Pulsando quimeras, textualizando Helvécio Ratton” foi uma das principais atrações na segunda noite do Cine Festival Inconfidentes, no Teatro Sesi Mariana. A mostra faz um passeio pela história da carreira e obras do cineasta mineiro. Além de admirar a essência de seu trabalho, é possível apreciar um acervo de fotos, objetos e indumentárias que compuseram os cenários de seus filmes.

Na cerimônia de abertura, Ratton demonstrou a satisfação que sentiu em ser um dos homenageados do Festival: “É uma honra estar aqui nesta noite, mais do que uma homenagem é um estímulo para os filmes que ainda quero fazer”, declara.

Mineiro de alma e coração, Ratton reflete em suas obras grandes marcas desta expressão: “Minas está sempre presente em meus filmes, busco sempre retratar nossa alma mineira”. O cineasta revela que sempre teve o cinema como forma de expressão e acredita que a expressão é algo que potencializa o momento mágico de transformar a inspiração em imagens cinematográficas.

A abertura da exposição teve apresentação do Coral Tom Maior, sob a regência do maestro Adeuzi Batista Filho. Quarenta vozes embalaram o público com canções bem diversificadas. O maestro relata o orgulho do grupo em estar presente no Festival Inconfidentes pelo segundo ano consecutivo: “Festivais como este, valorizam a cultura local e quando se pensa em um evento com atrações diversificadas, há um envolvimento maior do público”, afirma o maestro.

SERVIÇO – A exposição “Pulsando quimeras, textualizando Helvécio Ratton”, estará em cartaz até o dia 21 de outubro, de 9h às 19h, na Galeria do Teatro Sesi Mariana. A entrada é gratuita.

Veja mais fotos do lançamento da exposição na página oficial do Festival no Facebook. Imagens de Paula Peçanha.

Trabalho de Helvécio Ratton em exposição na cidade de Mariana

Por Túlio Anjos Castro

Ratton (esq.) e Adriano Medeiros, coordenador geral do Inconfidentes. / Foto: Paula Peçanha.

Na noite desta sexta, 05, o Teatro Sesi Mariana recebeu o cineasta brasileiro Helvécio Ratton, homenageado do 3º Cine Festival Inconfidentes, para o lançamento da exposição “Pulsando Quimeras: textualizando Helvécio Ratton”, que traz imagens e documentos marcantes dos filmes do cineasta. A exposição ficará aberta até o dia 21.10, sempre das 9h às 19h.

A noite começou com a apresentação do Coral marianense Tom Maior, que mescla em seu repertório MPB e música clássica. Entre as executadas da noite, canções como “Vou deixar”, da banda mineira Skank, e “Vira-Virou”, música que fez sucesso nos anos 80 na voz de Kleiton e Kledir. Júnior Silva Santos, 18, que faz parte do coral, nos contou que este é o segundo ano em que eles se apresentam no festival e que é sempre bom participar de eventos como esse. Sobre o repertório para as apresentações, o jovem disse que todos os integrantes participam da escolha das músicas, o que faz com que haja uma variedade nos estilos.

Após a apresentação a exposição foi aberta ao publico. Helvécio Ratton se disse emocionado com homenagem do Festival Inconfidentes. Para ele a exposição é um incentivo para continuar o seu trabalho. A seguir, o cineasta esteve presente na exibição do filme “Batismo de Sangue”, lançado em 2007, filme baseado no livro homônimo de Frei Beto e que trata da ditadura militar nos anos 60. O longa teve algumas cenas gravadas no interior do Seminário de Mariana. O Festival Inconfidentes está exibindo outros longas de Helvécio Ratton. Confira aqui a programação completa.

* A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.

5X Favela – uma impressão da realidade

Por Daniela Gurgel Damasceno

O Cine Festival Inconfidentes, em sua terceira edição, trouxe ao Teatro Sesi Mariana, em sua segunda tarde, o longa “5X Favela – Agora Por Nós Mesmos”.

Apresentando diferentes olhares, o filme reúne cinco episódios totalmente concebidos, escritos e realizados por jovens cineastas moradores de favelas do Rio de Janeiro e narra a complexa dimensão da realidade social brasileira.

Em meio aos poucos espectadores, o estudante Víctor Augusto Domingues. Aos 12 anos, seu olhar adolescente encontrou-se com os diversos olhares envolvidos na produção do longa. “É a primeira vez que assisto este filme e é interessante como ele descreve tão bem a realidade das favelas”, disse. Víctor Augusto ainda relata que as narrativas inspiradas em situções reais são um estilo que o atrai enquanto espectador: “Gosto de filmes baseados em fatos reais, a gente acaba se identificando com eles”.

O coordenador de cursos Saulo Pereira, 25, ressalta que em relação a outros filmes que ele já assitiu, “5 x na favela” traz uma articulação diferente: “Nota-se que há um ângulo bem próximo da realidade, chego a perceber em cada episódio um sentimento de fraternidade, algo que é muito pouco destacado nestes tipos de filmes”, argumenta. Para Saulo, apesar de alguns episódios apresentarem cenas fortes em termos de violência, valores também são apresentados em igual ou maior teor: “Algumas cenas nos permite analisar que mesmo vivenciando rotineiramente situações difícies, muitos conseguem manter a união e lutar por direitos de igualdade”, completa.

Confira a programação completa do Festival até 07/10.

* A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.

Inconfidentes apresenta “5x Favela”

Por Bárbara Monteiro

Em seu segundo dia, sexta, 05, o 3º Cine Festival Inconfidentes trouxe o filme “5x Favela”, exibido no Teatro do SESI, em Mariana. A trama, dirigida por um grupo de jovens cineastas brasileiros, moradores de favelas do Rio de Janeiro, foi produzido por Carlos Diegues e Renata de Almeida Magalhães, o longa foi dividido em cinco episódios que abordam diversos temas acerca do convívio social em diferentes comunidades. “5x Favela”recebeu várias premiações no Festival Paulínia de Cinema em 2010.

Poucas pessoas comparecem no local, mas quem foi não se arrependeu. O estudante de jornalismo da UFOP, Iago Rezende aprovou o filme: “São cenas do nosso cotidiano passadas de maneira clara e verdadeira. Muitas pessoas pensam que é sensacionalismo, mas pelo contrário, o filme não é nada ficcional”. Já o estudante Pedro Moura do curso de administração comentou sobre a equipe de diretores: “É um filme que mostra muito sobre nossa cultura. Os diretores vieram de comunidades e estão representando o que sempre viram muito próximo deles. Um excelente trabalho!”, relatou.

Veja outras atrações do segundo dia de Inconfidentes.

Veja as matérias sobre a programação do primeiro dia de Festival.

 * A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.

5x Favela – Agora Por Nós Mesmos no Festival Inconfidentes

Por Iago Resende

Na tarde desta sexta-feira, 05, segundo dia de Cine Festival Inconfidentes, foi exibido o longa 5x Favela – Agora Por Nós Mesmos. O drama-documentário conta com cinco histórias que retratam a vida em cinco comunidades cariocas. Dirigido por Wagner Morais, Rodrigo Felha, Cacau Amaral, Luciano Vidigal, Cadu Barcellos, Luciana Bezerra e Manaíra Carneiro, o filme-referência ao longa Cinco Vezes Favela, de 1962, foi premiado em diversos festivais.

O  pequeno público tornou a sessão aconchegante no Teatro Sesi Mariana. O estudante de jornalismo Edmar Borges disse ter se impressionado com a qualidade do filme e principalmente o desenvolvimento dos curtas: “É facil se identificar com algumas situações, mesmo pertencente a uma realidade diferente”, afirmou. O também estudante Marllon Bento igualmente ressaltou o empenho na produção: “o filme consegue colocar todas as emoções, gostei das cenas cômicas e me impressionei com o modo de vida deles”, disse.

Veja o trailer oficial de 5 X Favela – Agora Por Nós Mesmos:

 * A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.