Arquivo da tag: Jornalismo Ufop

Linhas de pesquisa de docentes são o destaque na última manhã da Secom

Texto: Fádia Calandrini

Fotos: Allan Almeida

O terceiro e último dia de atividades da II Semana de Comunicação começou com a apresentação das linhas de pesquisa dos professores aos alunos do curso de Jornalismo. Treze professores falaram sobre seus caminhos na academia, das 9h às 12h, em um clima de descontração e proximidade entre professores e alunos.

Quinze minutos era o tempo limite para cada professor expor seus estudos já realizados e os que estão em andamento. A professora Adriana Bravin deu início à rodada de apresentações, que seguiu ordem alfabética, e mostrou aos presentes sua metodologia de análise do jornal O Espeto, característico por suas notícias inclassificáveis e o reforço da presença de mitos em Mariana.

Em seguida, a professora Giullie Vieira enfatizou a necessidade de perguntas para que uma pesquisa seja feita. Seguindo a linha de Teoria Social e Práticas Sócio – Políticas, coloca em questão também a união das Ciências Sociais com o Jornalismo. Hila Rodrigues mostrou na sequência um panorama de seus estudos de recepção. Exemplifica com sua experiência em uma escola, o que contribuiu para seguir a temática Formação e Construção de Identidade do Sujeito Jovem.

Sobre as novas tecnologias, a professora Joana Ziller mostrou seu caminho de pesquisa a respeito da qualidade da informação midiática neste cenário e como que a informação nos espaços digitais se configuram. Logo depois, começa a discussão sobre Comunicação Organizacional explorada pelo professor José Benedito Donadon-Leal.

As peculiaridades no sistema informativo da cidade de Mariana foi apresentada por Juçara Brittes, que se enfatiza na cultura e religião local. Dois subprojetos nesta mesma linha também foram apresentados pelas alunas o 5º período Mayara Gouvea e Lorena Caminhas. Marta Maia colocou em foco a relação entre o objeto de pesquisa e o sujeito, também com um aluno do 5º período, Tales Vilela.

A fidelidade do ouvinte de rádio e o webjornalismo foram discutidos pela professora Nair Prata, e logo após, discussões a respeito de tecnologia e mídias digitais foram retomadas pelo professor Ricardo Orlando, que orienta também três alunos do 5º período: Lucas Vasconcellos, Tábata Romero e Beatriz Noronha.

As relações sobre signo sonoro foram expostas pelo professor Ricardo Lima, e valores sociais relacionados à linguagem foram abordados por Ubiratan Garcia Vieira. Representando os professores Adriano Medeiros e Margareth Diniz, os alunos o 5º período Luana Vianna e Rodolfo Gregório apresentaram suas linhas de pesquisa. Luana conta sobre suas experiência com Adriano, que estuda a identidade sócio-cultural de ouro-preto através das fotografias do comércio. Em seguida, Rodolfo apresenta os estudos de gênero através da psicologia e psicanálise.

Encerrando todas as apresentações, a professora Nair Prata sorteou dois livros sobre o rádio aos alunos, que ficaram empolgados com o prêmio. Marta Maia encerrou com o discurso da importância desta atividade para a comunidade acadêmica, pois o tripé Graduação – Pesquisa – Extensão precisa a cada dia ser fortalecido a favor da educação.

Emoção e descontração marcam segunda oficina de expressão vocal

Texto: Stephanie T.M.Rodrigues

Fotos:  Allan Almeida

A Oficina de Expressão Vocal realizada pelo professor Ricardo Lima, nesta quarta-feira, reuniu 22 alunos. Com exercícios vocais de aquecimento, prática e reconhecimento da voz, os participantes puderam compreender sua potência vocal. Por duas horas, técnica e sensibilidade mesclaram-se. A soma de exercícios vocais, que necessita de uma metodologia tecnicista de aquecimento e preparação da voz, ao toque de jogos cênicos deu um tom especial a essa oficina.

O ponto alto foi a descontração. A atividade que envolvia diálogos utilizava uma única frase como “Eu sou feliz”ou “ Vem correndo”, mas carregadas emoções distintas. O exercício proporcionou aos alunos uma reflexão prática de como a forma de comunicar imprime significados diferentes, mesmo utilizando a mesma frase. Outra dinâmica proposta foi a de fazer o corpo falar uma única palavra, porém sem mímica. Dessa forma, os alunos foram desafiados a utilizar uma comunicação completamente nova. O objetivo era refletir sobre o tema: precisamos necessariamente de voz para comunicar?

Ao final,  foi feita uma sessão de relaxamento e o convite a pensar num lugar onde os alunos realmente gostariam de estar de forma profunda e particular. Houve silêncio, porém, surpreendentemente interrompido com o canto de Ricardo Lima. A emoção invadiu a sala. “É um trabalho muito intenso”, conta o professor.