Reportagem Freelancer

Por Viviane Ferreira

“Redação Sozinha: cada pessoa pode ser uma”. Foi com essa frase que o jornalista Alexandre Rodrigues definou um novo tipo de profissional no jornalismo, o repórter freelancer. Mostrando que na era freelancer o jornalismo tradicional deu espaço para um jornalismo diferente, onde o repórter pode ser uma redação sozinha, o seu próprio chefe.

Existe um grande mercado para isso como revistas, sites de projetos e livros; basta a pessoa ter boas ideias, disciplina, respeitar os prazos e saber usar ferramentas como twitter e blogs. A internet é a chave para isso, pois o conteúdo está em todo lugar, blogueiros, twiteiros e mesmo perfis no Facebook concorrem com o jornalismo tradicional sendo esse transformado para uma nova concorrência: a online.

Rodrigues, cansado da rotina e do estresses das grandes redações, diz ter encontrado assim uma forma de jornalismo diferente e agradável. Trabalha com contéudo por encomenda, com isso afrma ter melhor produtividade e com prazer.

 

Mas ele faz um alerta: sempre haverá adversidades, como a dificuldade para ter acesso a lugares, pela falta de vínculo com algum veículo de comunicação, a solidão ao se trabalhar e a forte concorrência. Questionado sobre o futuro do jornalismo declarou: “Esse não irá morrer, vai continuar sempre mudando.”