Muito além da futilidade

“Fotografia de moda é contar histórias inventadas” Daniel Magalhães


Fotografar, manipular fotos, ter relação com o cliente e criação de ações de marketing são atributos de fotógrafos como Daniel Magalhães, 25 anos, que há quatro anos registra modelos para books, campanhas de confecções e ainda produz vídeos de moda. Este jovem artesão, como ele mesmo se define profissionalmente, diz que a parte mais difícil é manter um repertório criativo para que seus trabalhos sejam bons. Outra dificuldade é ter autocrítica para saber onde se pode melhorar.

A melhor parte da profissão, segundo Magalhães, “É tudo! Sou apaixonado com meu trabalho. É muito bom surpreender as pessoas com imagens”. Sócio da produtora Kaspar Filmes, tenta a cada dia criar coisas novas, tanto que está com um projeto chamado “Sophia”, no qual produz vídeos de moda de uma garota fictícia.

“Quanto maior o repertório e o conhecimento, melhores serão as histórias contadas através da fotografia”. Para quem quer seguir a carreira de fotógrafo, Daniel Magalhães diz que não é necessário ter o equipamento caro, mas, sim, ter conhecimento e cultura, já que se fotografa mais com a sua história de vida do que com uma câmera de alto custo.

O jovem “artesão” espera que no Brasil as empresas e as pessoas passem a valorizar mais o trabalho de fotógrafos de moda, que eles sejam reconhecidos pelo que fazem, pois este tipo de foto pode ser, inclusive, uma forma de protesto.

Texto e imagem: Júlia Mara Cunha