O profissional como produtor de narrativas

Por Luiza Madeira, Mariana Borba e Marina Soares

“Jornalismo em geral está em fase de transição”, afirma o professor de fotojornalismo André Luis Carvalho. O professor da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) fala sobre sua área de atuação nos rumos do Jornalismo na atualidade. A respeito dessa fase de transição, ele acredita que há um medo sobre para onde vai o jornalismo que se aprendeu a fazer, que é esse jornalismo do papel, impresso. Logo, é um momento de muita experimentação. “É comum em qualquer crise ou transição que se instaure uma série de inseguranças, receios e previsões muito presunçosas”. André mostra-se, porém, otimista quanto às possibilidades de interdisciplinaridade, uma complexidade maior na construção da notícia e das práticas jornalísticas.

 Falando sobre sua área de estudo, o professor acredita que a técnica é responsável pela estética e pela linguagem, mas acima de tudo isso está na própria linguagem, as formas de comunicar, de se expressar. “O profissional é produtor de narrativas. Sobre essas perspectivas, o fotojornalismo tende a ficar cada vez mais em sintonia na saída da redação à pauta, por exemplo, o fotógrafo estará mais ligado ao jornal, ao seu editor, por que a tecnologia permite isso. Por outro lado, isso pode significar um domínio maior no trabalho do fotógrafo, a ponto desse profissional virar um ‘apertador de botões’ tecnicamente despreparado. Tudo isso dependerá das formas de atuação.” André insiste que é preciso avançar: avançar plasticamente, conceitualmente e eticamente nas práticas de jornalismo.

No mês de novembro, a primeira edição do Ciclo de Estudos em Jornalismo na UFOP trouxe a discussão: Caminhos e tendências. Novas perspectivas da prática e teorias do jornalismo foram direcionadas em mesas e debates com os alunos. Dentre os convidados, o professor Elias Machado (UFSC), doutor em Jornalismo pela Universidade Autônoma de Barcelona e o professor Marcos Palacios (UFBA), doutor em sociologia pela University of Liverpool.