Diretor de “Batismo de Sangue” participa de conversa no Festival Inconfidentes

Por Livia Ciccarini

A exibição do longa “Batismo de Sangue”, durante o Cine Festival Inconfidentes, contou com a presença do diretor e roteirista do longa, Helvécio Ratton, fechando a programação da sexta-feira, 5, segundo dia de evento. Após a sessão, a platéia teve a oportunidade de conversar com o diretor, que subiu ao palco para contar sua experiência durante as gravações do filme que fala sobre o período da Ditadura Militar no Brasil sob o ponto de vista dos torturados, um deles, Frei Betto, autor do livro utilizado como obra-base para a criação do filme.

Ratton, homenageado do Festival, respondeu perguntas da platéia e na presença de professores e alunos da Universidade Federal de Ouro Preto, abordou assuntos relacionados a produção de seus longas e a perda de arquivos relacionados a ditadura.

Para Anderson Mederios, 28, professor de jornalismo na UFOP e diretor de produção do Inconfidentes, conversar com Ratton foi uma possibilidade de abrir os olhos e desmistificar suas opiniões sobre o filme “Batismo de Sangue”: “Achei uma oportunidade interessante conversar com quem está no mercado produzindo. Eu, que ainda não havia assistido ao filme e trabalho com comunicação e cinema, aprendi muito”, afirma.

A conversa que durou cerca de uma hora e meia e também foi avaliada como proveitosa pela estudante de Jornalismo da UFOP Isadora Lira, 19: “Além de ter contato com o universo do cinema, foi uma grande oportunidade de conhecer mais sobre uma parte triste da história do nosso país”, explicou.

* A cobertura do Cine Festival Inconfidentes 2012 disponibilizada aqui é uma produção laboratorial dos alunos de Técnicas de Reportagem e Entrevista 2012/1. Ao reproduzir o conteúdo a autoria deverá ser citada.