Aspectos visuais da reportagem

A palestra sobre aspectos visuais da reportagem foi uma das atrações da segunda noite da Semana de Comunicação da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). A palestra contou com a presença dos convidados Renata Steffen, Alexandre Rodrigues e Eugênio Sávio.

Renata é infografista da revista superinteressante. Foi a primeira a falar e deu exemplos do seu portifólio, contou como funcionam os infográficos nas matérias jornalísticas e citou a importância das imagens nas reportagens do dia-a-dia.

Segundo ela, a função das imagens não é somente ilustrar, mas também de informar, pois elas falam por si só. O primeiro aspecto a se levar em consideração para se adequar uma imagem a uma revista é seu público-alvo. Diferentes públicos-alvo pedem diferentes infográficos. Não seria possível, como exemplo, utilizar a mesma foto para ilustrar a Capricho e a revista Veja.

Renata comentou ainda a respeito da importância da fidelidade de informações para se compor uma ilustração. Cada imagem deve ter exatamente a mesma proporção e a cor do real que ela almeja representar.

Alexandre Rodrigues abordou o uso dos infográficos há alguns anos, quando eram vistos apenas como uma maneira de ocupar espaço. Ele lembrou ainda que a infografia surgiu na época da Marcha de Napoleão, até chegarem às complexas ilustrações em três dimensões já disponíveis na web hoje em dia.

Eugênio Sávio, fotógrafo profissional, que já trabalhou em diversos veículos de comunicação e atualmente é professor da PUC-MG, foi o último palestrante da noite. Eugênio foi muito bem humorado e fez de sua palestra um verdadeiro stand-up. Contou as diversas experiências no exterior e os inimagináveis tipos de fotografia que já obteve. “A fotografia é importante porque é a tradução pessoal de informações e sentimentos. Ela diz tudo por si própria. Fotografia informa, emociona e convence, e seu elemento mais importante é o fundo”, afirmou.

Questionada sobre o possível “salvamento” do jornalismo pelo designer, Renata foi enfática ao afirmar que isso não ocorrerá, pois o trabalho deve ser feito em equipe pelo jornalista e infografista. Alexandre complementou dizendo que se algo salva o jornalismo é a pauta. “O que salva de fato é uma pauta interessante, pois com uma pauta ruim não há gráfico suficiente que prenda atenção do leitor”, disse.

Texto: Janderson Coimbra França